top of page

Rubya Diaries: MASSIMO BOTTURA

Já que nós vamos para a Itália, vamos à Modena?

Vamos na Osteria Francescana?

Massimo Bottura, quem?



Para situar, Massimo Bottura é o Chef do restaurante Osteria Francescana, classificado como um dos melhores do mundo (pelo "The World's 50 Best Restaurants") e três vezes estrelado pelo Guia Michelin. "O conheci" através do seu episódio no documentário do Chef's Table, na Netflix. (A série documental conta a história de diversas estrelas da gastronomia, como eles construíram a carreira, mostra um pouco dos bastidores de seus restaurantes com uma produção e trilha sonora incríveis!).

Você vai se apaixonar da mesma forma pela qual eu me apaixonei pelo trabalho dele (e de outros chefs).

Apenas assista! __ Quando fomos convidados pela Le 5 Stagioni (marca de farinha italiana, que meu pai usa em suas receitas de pães e pizzas) para ir ao evento de Gastronomia em Rimini (cidade italiana, situada na região da Emilia Romagna), a primeira coisa que pensei foi: ESSE É O MEU MOMENTO, VAMOS APROVEITAR E IR PARA MODENA! Tinha configurado meu alarme para tocar em dia e horário marcados para conseguir fazer uma reserva pelo site da Osteria. Três meses antes da data que eu queria porque é um dos restaurantes mais concorridos do mundo, é super exclusivo e ainda, com poucos lugares disponíveis.


Resumo desse capítulo: meu cartão não passou no site e eu fui parar na posição #650 da fila de espera. (SEISCENTOS E CINQUENTA! Qual a chance?!)


Pois é, como uma boa pisciana, mantive minhas expectativas no céu e passei esses três meses antes da viagem assistindo o episódio do documentário dele, sonhando com a oportunidade de entrar na Osteria. 






22/01/2020 - Não consigo descrever minha felicidade!!!! Juro!! Chegamos na linda região de Modena, tomamos um espresso, compramos pasta fresca e finalmente chegamos na VIA STELLA, 22, para tocar a campainha do Massimo e perguntar se tinha um espacinho para nós almoçarmos com ele. Rs. Não havia lugar naquele período (óbvio que não teria, mas eu precisava tentar) e o mâitre havia dito para tentar outro dia, tipo na semana seguinte (eu já estaria no Brasil)... Chateada, me senti meio "e agora o que eu faço!? Eu preciso dar um jeito de conhecer o Chef!".

Bom, já sabia que a porta da cozinha era na esquina ao lado, decidi ficar plantada lá até o Chef sair, né. Uma hora ele ia sair… Eu esperava.. 




Depois de 2 horas e 30 minutos em pé (sim, meu pai falou que faríamos o que eu quisesse e decidi esperar um pouquinho! hahah), me aquecendo no sol que batia em uma parte da rua, o Massimo Bottura aparece! Foi tão rápido e não tinha dado tempo de criar coragem para falar com ele. Beleza, vou esperar mais um pouco... ___ Segunda vez! Ele sai da cozinha para resolver algum assunto com um fornecedor. Ai, não vou atrapalhar, ele está trabalhando! (Enquanto isso, meu pai discute comigo, falando que ia desistir de esperar, porque já estava perdendo a paciência e eu não tinha tomado nenhuma atitude ainda). Tá, última tentativa. ___ Terceira vez! Ele saiu da cozinha! Agora vai! Respirei fundo (estava toda emocionada) e parei na frente dele para me apresentar… Ele me cortou: O que??? Você quer uma foto?? SIM! Claro que sim! - eu disse, quase gaguejando. Meu vocabulário de inglês tinha fugido bem naquela hora! Hahaha. Aproveitei para explicar toooda a situação da reserva e que eu ainda queria muito conhecer o trabalho dele. Com todo o carisma e objetividade de um típico italiano modenese, Massimo nos convidou para jantar em seu recém inaugurado hotel-restaurante, Casa Maria Luigia, que ele mesmo cozinharia naquela noite!! __ Lições aprendidas nº1: Corra atrás do que você acredita, insista, persista. Nunca desista, que a sorte vai te encontrar!


Lições aprendidas nº2:

Tenha dois cartões de crédito em mãos, na hora de fazer uma reserva dessas pela internet.





Bom, passamos o restinho do dia passeando pela cidade, paramos para tomar mais um espresso! Depois encontramos um bar (chamado La Bicicletta - Caffe & Salumi) e paramos para fazer o "esquenta Massimo" com um vinho branco delicioso de pignoletto (uva nativa da região da Emilia Romagna) e batata chips!


Pegamos um táxi para ir até a Casa Maria Luigia, que é um pouquinho afastada do centro da cidade (são aproximadamente 9km, uns 15 minutos da Osteria Francescana) e fomos os primeiros a chegar.


O local é incrível, a casa tem uma arquitetura bem rústica e italiana por fora, mas por dentro é super moderna. 




Chegamos com o mâitre, sommeliers e garçons todos a postos. Todos muuuito educados e gentis!

O espaço não é muito grande, as paredes são branquinhas, o chão de madeira e a única coisa que separa o salão da cozinha é uma bancada, onde os Chefs finalizariam as produções (tudo na nossa frente!!!). 


Penduraram nossos casacos e nos levaram até a mesa, já servindo um espumante e grissinis de boas-vindas.


Esperamos todos os convidados chegarem e serem servidos. Todos já estavam com suas taças e couverts dispostos às mesas.


O Chef chegou e se apresentou, cumprimentou cada convidado, perguntou se precisávamos de algo, disse que poderíamos circular pelo salão e acompanhar as produções de perto. Que qualquer dúvida, era só perguntar para ele!


E para nossa surpresa, a pessoa que apresentaria o menu seria a Lara, sua esposa! -- Olha que especial!





Lara aparece toda simpática e vai em cada mesa cumprimentar os convidados com um sorriso no rosto, dizendo que era uma super alegria estarmos lá. Enquanto os Chefs preparam a comida, Lara explica que o propósito dos jantares na Casa Maria Luigia é servir os pratos mais clássicos do menu degustação -- os mesmos que Bottura foi criando ao longo de sua trajetória e que têm um significado por trás de sua composição -- e deixar a Osteria Francescana para desenvolver novas ideias e fazer a criatividade fluir! Por isso que o nome é "Osteria Francescana na Casa Maria Luigia". Ela levou o amor e o sentimento de "comfort food" para o jantar. 

A maneira como ela contava, explicando o significado de cada item da preparação… Dava VIDA ao prato! Parece que conseguíamos "experimentar a história", só de comer a comida! O menu tinha 09 tempos (também podemos chamar de "tempos" os pratos em um menu degustação), deixando o grand finale para o Tortellini no molho de parmigiano da receita da avó dele! Apresentação do prato incrível, serviço impecável e experiência única. Ah, todas as louças eram Gucci. Apenas. ___ Lições aprendidas nº3: O jantar foi uma experiência de vida, exemplo de uma trajetória de resiliência e dedicação.


Lições aprendidas nº4:

Tivemos mais uma prova de que cozinhar é um ato de AMOR! (Nossa primeira prova é a comida da vovó)


P.S.: se você tiver a oportunidade de visitar a Itália, dê uma passadinha em Modena! Deixe uns dias para a região de uma das melhores gastronomias do MUNDO!

E ainda, se puder viver um pouquinho dessa experiência, vale à pena acordar às 4 horas da manhã para tentar reservar com três meses de antecedência e investir 310 euros no jantar do Massimo Bottura.


P.S.2: vamos deixar essa "situação-corona" de lado, escrevo esse post para compartilhar uma experiência, despertar sua curiosidade e para que você possa sonhar e já montar seu roteiro de viagem para a Itália!


Aqui embaixo, coloquei as fotos dos pratos! BUON APPETITO!!



AH, se você me perguntar se o jantar foi bom.... deixo a resposta para o que meu pai disse no restante da viagem:


"Não existe vida após o Massimo" hahahahaha!



Adicionei nos DESTAQUES do Instagram (está como BOTTURA), todos os Stories que fiz durante esse dia, em Modena. Vale à pena dar uma olhadinha!


Esperto que você tenha gostado.

Com carinho,

Rubya

Comments


bottom of page